Luz do sol

quarta-feira, 7 de maio de 2008


Luz do sol, que a folha traga e traduz
Em verde novo, em folha, em graça, em vida, em força, em luz
Céu azul, que vem até onde os pés
Tocam a terra e a terra inspira e exala os seus azuis
Reza, reza o rio, córrego pro rio, rio pro mar
Reza a correnteza, roça, beira, doura a areia
Marcha o homem sobre o chão, leva no coração uma ferida acesa
Dono do sim e do não diante da visão da infinita beleza
Finda por ferir com a mão essa delicadeza
A coisa mais querida, a glória da vida.

Caetano Veloso. A foto é minha.

2 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/
http://paixoes-longinquas.blogs.sapo.pt/
http://desabafos-solitarios.blogs.sapo.pt/

Julikas disse...

Gostei do poema, mas gostei ainda mais da foto. Está simples, transparente, sincera e desprovida de apetrechos desnecessários. Queria ser assim, às vezes... uma simples folha a fotossintetizar e a sentir o calor do sol por todas as entranhas do corpo.