Três musas

segunda-feira, 24 de março de 2008

Três musas da nova geração de cantoras brasileiras. A fileira de talento e beleza parece inesgotável. Começamos por Ana Cañas, paulista descoberta no Hotel Fasano pelo inevitável Caetano Veloso. Voz extraordinária, presença marcante e a melhor versão que conheço do clássico Coração Vagabundo. Se pedirem muito conto-vos a melhor maneira deitar a mão a estes discos.

Céu, simplesmente. Bela, sexy, compositora de talento e uma voz tamanha. Até os holandeses já deram por ela, mas em Portugal é conhecida apenas por uma feliz minoria.

Por fim, Fernanda Takai. Uma veterana em comparação com as duas meninas de cima. Vocalista consagrada dos Patu Fu, com um fio de voz milagroso. Aqui, no disco de estreia a solo, numa versão de uma canção velhinha de Nara Leão. Desfrutem. Amanhã há mais vozes femininas a descobrir aqui no Amor e Ócio. Dois.

3 comentários:

Jota Bê disse...

Caro Rui,
Com a apresentação à sociedade da - deliciosamente divina - Ana Cañas(êta coisinha mais linda!)acabas de evitar um atentado (à la ETA - "con una bomba-lapa" pela referênciazinha insidiosa à tua condição de "sadino desde pequeno".
Saludos!

jota bê disse...

.... ah... só pra lembrar o amigo Rui que, malgré Ana Cañas, as Rainhas das minhas poluções nocturnas continuam sendo as Deusas
IVE MENDES e RENATA GEBARA! Saravá! Saia uma homenagem à goiana e à carioca!

Anônimo disse...

Caro Rui,
Bem haja este regresso do amor e ócio!
Fiquei fã da Ana Cañas (claro!), e gostei de rever a Fernada Takai.
Mas, e que tal a voz, por vezes demoníaca, outras vezes angelical, da Cássia Eller?
Cadê?
Julgo que devia ter a devida homenagem do novo amor e ócio.
Ainda por cima, ela cola tão bem com o nome do blog...
Abraço!
Svieira